02 novembro 2011

Bebê Henrique


Fotografar bebês é um desafio. Nem tanto pelo controle da luz, ou pela composição, mas principalmente porque é preciso paciência. 
Existem bebês de todos os tipos. Tem aqueles que só dormem e dormem e dormem... Maravilha. Mas quando eles estão agitados, talvez seja melhor guardar a câmera, tomar um café, ler uma revista e tentar mais tarde. Até porque é difícil tirar uma boa foto de uma linda criancinha com o bocão aberto e vermelha que nem um pimentão.
Como a idéia do blog é discutir um pouco sobre o processo de fotografar, e não só sobre as fotografias, vou contar sobre esse final de semana. 
Rebeca (minha esposa/diretora de arte/contra regra) e eu fotografamos o Henrique. Ele é o primeiro filho de uma fotógrafa super amiga nossa, a Sorayha. Por motivo de força maior, ela está na casa da mãe, então não deu para registrar o bebê no seu ambiente, no seu quartinho e tal. Mas tudo bem. Ele tem pouco mais de um mês. É aquela coisinha pequena, que todo mundo tem medo de mexer, inclusive a própria mãe! Como manipular uma criança tão nova foi uma dificuldade que enfrentamos. Até porque não queríamos acordar a fera. Quando chegamos, ele chorava a precisos 0,8 gritos/s. Praticamente um metrônomo.
Em resumo, para fotografar bebês muito pequenos tem que estar preparado. Não só com uma boa dose de paciência, mas para clicar na hora certa. Nesse caso, foram 10 minutos de cochilo que ele tirou entre uma mamada e outra, antes de reiniciar os 0,8 gritos/s.
Um pouco do resultado: